jusbrasil.com.br
31 de Maio de 2020
    Adicione tópicos

    PT e PCdoB preparam lei para quebra de monopólio da mídia

    Folha Política
    Publicado por Folha Política
    há 6 anos

    Num consórcio partidário contra o que chamam de mídia golpista, no bordão entre gabinetes, o PT e PCdoB preparam sem chamar a atenção projeto de lei para a quebra do monopólio de grandes grupos de mídia no Brasil, a exemplo do que fez a presidente argentina Cristina Kirchner.

    A decisão passa pela regulamentação do Parágrafo 5º do Artigo 220 da Constituição, do Capítulo V que trata da Comunicação Social.

    Para comunistas e petistas que defendem a regulação da mídia, os grandes grupos hoje atuante no País - contam cinco - devem se desfazer de redes de rádio e televisão regionais, além de jornais. 'A Constituição terá de ser seguida', diz a vice-presidente do PCdoB, deputada federal Luciana Santos (PE), uma das coordenadoras da ideia.

    Leia também:

    EUA dizem que discurso contra espionagem é desculpa para governos controlarem a internet

    Apoiadores do Marco Civil admitem consequências como censura, vigilância em massa e violação da privacidade

    'O declínio do Jornal Nacional é irreversível', diz jornalista

    Globo recebe R$ 30 milhões de governo e prefeitura do Rio para organizar festa da Fifa

    O Parágrafo 5º cita que 'Os meios de comunicação social não podem, direta ou indiretamente, ser objeto de monopólio ou oligopólio'. Falta detalhar, aí está a brecha.

    Com o apoio do PT, que não quer chamar a atenção em ano de campanha, o PCdoB tomou as rédeas. Acaba de sair de uma comissão especial na Câmara e será protocolado projeto de lei que tira dinheiro dos grupos e distribui verba publicitária do governo federal equitativamente para mídias regionais.

    Outra proposta aprovada na comissão é a de autorizar rádios comunitárias a usar 20% da programação para captar anúncios.

    Para os caciques dos dois partidos, é preciso no País uma mídia mais independente e sem controle de grupos com interesses - segundo relatam - nem sempre claros.

    Leandro Mazzini

    Coluna Esplanada

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)