jusbrasil.com.br
17 de Setembro de 2019
    Adicione tópicos

    Venda de refinaria na Argentina causou prejuízo de ao menos US$ 100 milhões à Petrobras

    Folha Política
    Publicado por Folha Política
    há 5 anos

    Há cerca de um mês, o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli reuniu-se com o presidente do PT, Rui Falcão, na sede do partido em Brasília. Foi uma conversa tensa. Gabrielli se disse preocupado com o futuro, pois avaliava que o cerco da Polícia Federal poderia se fechar em torno dele. Em um dado momento do diálogo, queixou-se da indiferença com que tem sido tratado pelo governo e pelo partido. "Não posso ser preso, você sabe!", reclamou, bastante alterado.

    O estado de ânimo demonstrado por Gabrielli naquela ocasião se explica agora. Na última semana, o ex-presidente foi arrolado entre os executivos que serão alvo de processo administrativo pela CGU por causa de irregularidades na compra da refinaria de Pasadena. Também foi denunciado por conta de desvios de R$ 31,5 milhões em obras do Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes) pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, que ainda pediu à Justiça o bloqueio de seus bens e a quebra de seus sigilos bancário e fiscal. A Polícia Federal está cada vez mais convicta de que Gabrielli foi um importante protagonista do esquema de corrupção na maior estatal do País. Segundo um integrante da força-tarefa, sua digital aparece em toda parte. "Praticamente todos os grandes negócios realizados no período em que vigorou o esquema criminoso, no Brasil e no exterior, tiveram a chancela do presidente da estatal", afirma um delegado. Um desses negócios consistiu na venda da refinaria San Lorenzo na Argentina durante a gestão de Gabrielli. Segundo revelam documentos obtidos por ISTOÉ, a negociata causou um prejuízo de ao menos US$ 100 milhões à estatal.

    Leia também:

    'Alertei Graça Foster pessoalmente', diz ex-gerente da Petrobrás

    Há mais nomes na lista de políticos implicados no Petrolão, inclusive um governador reeleito

    Empreiteiras aceitam repassar documentos das fraudes praticadas na Petrobras

    Veja quem são os 28 políticos citados pelo ex-diretor da Petrobras em delação premiada

    Petista diz que Graça Foster não tem mais condições de continuar e surpreende Dilma

    Relator da CPI volta atrás e descobre que houve prejuízo na compra de Pasadena

    "Mesmo com propina, Pasadena foi um bom negócio", diz relatório da CPI da Petrobras

    Relator da CPI da Petrobras não pede indiciamento de nenhum suspeito

    Oposição promete 'relatório paralelo' da CPI da Petrobras e pode pedir indiciamento de Dilma

    CPIs da Petrobras revelam a própria inutilidade, mostra Josias de Souza

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)